Fórum do Clima 2019

O evento Fórum do Clima 2019 - Governadores pelo Clima, ocorrido em 25 de abril, foi a primeira grande ação de comprometimento de 11 estados da federação e do Distrito Federal para unir esforços a fim de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEEs) e combater o aquecimento global.

Organizado pelo Centro Brasil no Clima (CBC) e pelo Instituto Ondazul, em apoio ao Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), o evento teve o propósito de discutir ações de adaptação e mitigação das mudança climáticas, bem como avaliar a posição do País, tanto global como nacionalmente, no início de 2019. 

Os governadores de São Paulo, Rio Grande do Sul, Pará, Minas Gerais e Pernambuco participaram por vídeo e explicaram que ações estão sendo promovidas em seus estados para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. 

Em seu discurso, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, defendeu ações urgentes para combater as mudanças climáticas, assim como os outros governadores. Todos defenderam a permanência do Brasil no Acordo de Paris. 

Também participaram do Fórum Clima representantes de outros governadores e secretários estaduais de meio ambiente - responsáveis ​​pelas políticas regionais de mudança climática - do Distrito Federal e de 11 estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco e Pará. Os organizadores pretendem atrair mais governadores para o movimento.

O Fórum Clima aconteceu na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) e reuniu também cientistas, representantes do setor privado e ambientalistas.  O evento teve repercussão nacional e internacional. 

Estratégias e oportunidades

Um importante tópico de discussão foram as maneiras de se estabelecer canais internacionais de financiamento mais diretos para projetos e ações de adaptação e mitigação em biomas e estados brasileiros. 

“A questão climática não é apenas ambiental, e sim um enorme risco econômico, social e de saúde pública. Mas, por outro lado, oferece a oportunidade de inserir os estados brasileiros - de forma competitiva - em uma economia de escarbonização. As unidades da federação podem e devem assumir um papel de liderança política nessa questão climática. Esperamos ampliar esse número de participantes e alcançar a adesão de vinte estados”,  afirmou Alfredo Sirkis, diretor executivo do Centro Brasil no Clima. 

As ações de  mitigação e adaptação englobam várias  estratégias, como por exemplo: o reflorestamento econômico, de recomposição e em grande escala; a agricultura de baixo carbono; e  as energias  eólica, solar e de biomassa, para os quais o potencial do Brasil é muito significativo. 

Acordos internacionais 

O Brasil sempre desempenhou um papel importante nas negociações de acordos climáticos internacionais, desde a Conferência Rio 92. Em 2015, assumiu a meta de reduzir as emissões em 37%, até 2025 (em relação ao que foi emitido na atmosfera em 2005), o que ressaltou seu protagonismo no Acordo de Paris. 

Hoje, enfrenta novos desafios na agenda ambiental por ter em cargos-chave do Governo Federal negacionistas ou céticos sobre mudanças climáticas. Nessa atual conjuntura, identifica-se a necessidade de mobilizar governos de estado, municípios, sociedade civil e setor privado para que, juntos, possam resistir ao desmantelamento de trinta anos de governança ambiental.

Governadores em defesa do clima

Os governos dos estados brasileiros lidam diretamente com as consequências das mudanças climáticas que afetam o Brasil e todo o planeta. 

E exercem um papel fundamental para fazer frente a esse fenômeno (cada qual dentro de suas características e possibilidades regionais, econômicas e sociais) e adaptar-se às suas consequências. Podem ainda contribuir para a redução de GEEs, cumprindo assim o compromisso do País no esforço global. 

O Acordo de Paris e a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) pelo Brasil são a base para essa ação dos estados brasileiros, e a liderança de seus governadores é fator determinante para o sucesso dessas metas. 

Depois do Fórum 2019, foi instituído o  Conselho de Governança Climática, que potencializa as discussões sobre urgências e necessidades de cada local e permite a troca de experiências para lidar com os efeitos das mudanças climáticas. 

Participaram desse evento os governadores de São Paulo, João Dória,  do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, do Pará, Helder Barbalho, de Minas Gerais, Romeu Zema, de  Pernambuco, Paulo Câmara, e do Espírito Santo, Renato Casagrande. 

 

Os demais estados participantes - Rio Grande do Norte, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Paraná – e o Distrito Federal enviaram representantes e secretários de meio ambiente.

O Fórum Clima Subnacional foi organizado em parceria com o Instituto Clima e Sociedade (iCS) e o Climate Reality Project. O evento contou com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) e da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente  (ABEMA). 

Centro Brasil No Clima

​Av. Marechal Câmara, 160 / sala 418
Rio de Janeiro - RJ - Brasil - CEP 20020-080

E-mail:
contato@centrobrasilnoclima.org
cbc@centrobrasilnoclima.org

Telefones: +55 21 2262-1202 / +55 21 2210-7102

Fique por dentro das notícias do CBC