Notícias do Brasil

  • centrobrasilnoclima

Conheça os projetos do Centro Brasil no Clima


Relações Internacionais


Cultivar e desenvolver relações aprofundadas com diferentes stakeholders internacionais não era tarefa fácil no contexto com o qual a nova gestão do CBC se deparou. No mundo todo, a pandemia de COVID-19 apresentava desafios até então inéditos em distintas áreas. No Brasil não foi diferente, e a atenção e o compromisso com as questões climáticas não eram prioridade frente aos novos desafios nas ações governamentais, em especial na esfera federal. A não realização da COP26 em 2020 em função da pandemia - que adiou diversos debates necessários no âmbito internacional - fez crescerem e intensificarem as expectativas e incertezas em torno da realização da conferência em novembro de 2021, em Glasgow, na Escócia.

Mesmo assim, por meio de um eficaz trabalho de estabelecimento e manutenção de parcerias, conseguimos abrir ou aprimorar canais concretos de interlocução e ação com a União Europeia, o Reino Unido e os Estados Unidos, além de nos engajarmos em

interações com entidades internacionais de peso. Tudo isso culminou numa relevante atuação do CBC tanto no processo de preparação para a COP26 quanto durante sua realização, que teve, entre outros destaques, encontros com o Príncipe Charles e o ex-Presidente dos EUA Barack Obama.


Para contar essa história de sucesso, antes é necessário lembrar que as articulações internacionais são parte do nosso DNA desde a criação do CBC, em 2015: a fim de mobilizar atores internacionais em apoio à ação climática brasileira, sempre participamos e coordenamos eventos com representantes de múltiplas nacionalidades e incentivamos o engajamento de governos subnacionais em articulações internacionais.


Em 2019, o CBC havia participado da Global NDC Conference (Berlim), da Climate Week (Nova York) e do evento de Governadores da Região Amazônica, realizado no Vaticano ao final do Sínodo. Ainda co-realizou o ato inter-religioso “Fé no Clima” em Recife, em parceria com o Center for Earth Ethics (estabelecida por meio da relação com sua diretora, Karenna Gore), o Instituto de Estudos da Religião e o Instituto Clima e Sociedade, com apoio da Federação Israelita de Pernambuco. Na gestão anterior colaborou também para negociações que se estendem até os debates mais recentes. Por exemplo, ao final de COP21, em 2015, o fundador e então diretor-executivo do CBC, Alfredo Sirkis, esteve presente no início das negociações do chamado Artigo 6 do Acordo de Paris, tema que dominou as atenções em Glasgow neste ano. Já em 2019, o CBC realizou workshop durante a COP25 a fim de discutir pautas a serem implementadas durante a Conferência seguinte.


Assim, em 2021 o CBC continuou e aprimorou essas atividades e parcerias. Um exemplo foi o encontro, promovido em julho, entre quatro estados brasileiros e os Ministros-Conselheiros da União Europeia. O encontro fortaleceu desdobramentos em políticas públicas dos estados participantes, como a iniciativa do Selo Verde, no Pará, plataforma para monitorar e avaliar as políticas públicas voltadas ao desenvolvimento da produção agropecuária paraense. Em paralelo, a exitosa implementação da coalizão Governadores pelo Clima [ver seção Advocacy], apoiada pela União Europeia, consolidou ainda mais os canais de interlocução entre o CBC e o órgão.

Outra ação de peso foi a colaboração com a campanha Race to Zero, para a qual o CBC intermediou, em articulação com a Embaixada do Reino Unido no Brasil, a adesão dos estados de São Paulo, Pernambuco, Pará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná, que se somaram aos estados de Amazonas e Minas Gerais, que se uniram à campanha por conta própria. Além dos estados, a participação e adesão do município de Niterói foi também incentivada pelo CBC. A campanha é uma iniciativa global das Nações Unidas voltada a engajar governos subnacionais, empresas e investidores para o compromisso com emissões líquidas zero até 2050.


A capacidade de engajamento demonstrada nesse processo e o trabalho de articulação da aliança Governadores pelo Clima pavimentaram o caminho para que o CBC fosse um dos principais parceiros apoiadores das atividades realizadas durante a vinda ao Brasil do Presidente Designado da COP26, Alok Sharma, em agosto de 2021. O CBC deu suporte à presença de entes subnacionais no evento oficial em Brasília com a autoridade internacional e intermediou entrevistas internacionais, por exemplo, com o Financial Times. Em reunião estratégica exclusiva realizada em seguida ao evento, também com a presença de Alok Sharma, a aliança Governadores pelo Clima foi ressaltada como exemplo que inspira outros movimentos semelhantes na América Latina.


CBC na COP 26

Todas as iniciativas da nova gestão do CBC dentro da linha de ação Relações Internacionais tiveram, em algum grau, caráter preparatório para a 26ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - comumente chamada apenas de COP26 -, realizada em novembro de 2021, em Glasgow, na Escócia.


Cercada de incertezas antes da sua confirmação e de expectativas sobre seus resultados, a conferência foi o grande destaque na diplomacia internacional em 2021, sendo um dos primeiros grandes eventos internacionais realizados após o período mais grave da pandemia. Além disso, a COP26 se realizou meses após o lançamento do mais novo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, da sigla em inglês), que classificava como “inequívoca e inquestionável” a influência da atuação humana sobre o aumento da temperatura do planeta. Dessa forma, a atenção internacional era alta para o que seria debatido e definido em Glasgow. E igualmente alta para os posicionamentos, metas, articulações bilaterais e declarações de intenções que seriam anunciados durante o evento.


Neste contexto movimentado, o CBC se destacou pelo conjunto de articulações e realizações que produziu antes e durante a conferência. A começar pela elaboração de um documento de “Informações Estratégicas para a COP26”, enviado previamente aos governadores e suas equipes. O documento apresenta dados detalhados para ajudar a entender as bases técnicas e políticas dos principais pontos em debate na conferência de Glasgow, além de expor e caracterizar o contexto internacional no qual as Conferências das Partes estão inseridas.


Ainda em preparação para a Conferência, uma programação personalizada foi enviada para os estados partícipes da iniciativa Governadores pelo Clima, reunindo temas, eventos e reuniões de potencial interesse. Tal agenda foi compilada a partir de diversos encontros da nossa equipe com instituições responsáveis pela organização de eventos e encontros bilaterais presenciais em Glasgow, bem como com representantes dos governos estaduais e dos consórcios dos quais participam.


O CBC articulou ainda, em conjunto com secretários e membros de gabinetes, a agenda específica de três dos onze governadores que compareceram à COP26: Renato Casagrande (ES), Paulo Câmara (PE) e Carlos Moisés (SC). Por meio da promoção de inúmeras reuniões bilaterais com autoridades e investidores, indicação dos governadores como palestrantes e keynote speakers, intermediação com imprensa internacional e até mesmo ajudando com necessidades de tradução dos mandatários estaduais, o CBC propiciou a otimização de suas participações no evento internacional e o estabelecimento de parcerias que podem se desdobrar em projetos climáticos concretos nos estados brasileiros. Contribuímos ainda, em diferentes graus, para a elaboração de agenda de outros oito governadores brasileiros que foram à COP26: Gladson Camelli (AC), Romeu Zema (MG), Mauro Mendes (MT), Helder Barbalho (PA), Wellington Dias (PI), Marcos Rocha (RO), Eduardo Leite (RS) e João Doria (SP).


Já durante as duas semanas de realização da COP26, promovemos quatro eventos com a presença de governadores, secretários estaduais e outros representantes de entes subnacionais brasileiros. Um deles foi o lançamento internacional do Consórcio Brasil Verde, um dos desdobramentos da coalizão Governadores pelo Clima, que teve a presença dos governadores Renato Casagrande (ES), Eduardo Leite (RS), Mauro Mendes (MT) e Fátima Bezerra (RN) - esta última, de forma virtual. O Consórcio viabiliza a criação de um fundo único de investimentos para a captação de recursos de financiamento climático voltados à redução de emissões e ao incentivo de energias renováveis nos estados brasileiros.


Outro evento relevante promovido pelo CBC durante a COP26 foi o encontro “Governadores pelo Clima: os estados brasileiros liderando a implementação da NDCs brasileira”, realizado no pavilhão Euroclima+. O encontro mediado por Guilherme Syrkis contou com a fala dos governadores Helder Barbalho (PA), Paulo Câmara (PE), Wellington Dias (PI) e Carlos Moisés (SC), além dos secretários de meio ambiente dos governos do Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Amapá e São Paulo. Participaram ainda como espectadores outros três secretários estaduais, o prefeito de Niterói, Axel Grael, e o representante do programa Euroclima+, Andrew Scyner.

Também articulado pelo CBC, o encontro dos governadores João Dória (SP) e Renato Casagrande (ES) ocorreu no Pavilhão Brazil Climate Action Hub, para discutir as diretrizes e ações estratégicas dos seus respectivos estados, bem como receber lideranças jovens na mobilização pelo combate às mudanças do clima. Ademais, em parceria com o Instituto Ethos e com outras instituições organizadoras da Conferência Brasileira de Mudança do Clima, o CBC foi representado por Guilherme Syrkis no evento “Organização em rede para a ação climática”, ocorrido no mesmo pavilhão e que tinha como objetivo apresentar movimentos baseados em diálogos multissetoriais e construir agendas comuns entre os diversos atores da sociedade brasileira.


Em mais um ponto alto da nossa presença na COP26, fomos convidados pelo governo do Reino Unido, anfitrião da conferência, a comparecer a um encontro com o Príncipe Charles e outras autoridades britânicas, destinado aos governadores dos estados que aderiram oficialmente à campanha Race to Zero. O CBC esteve presente por meio de seus dois representantes na COP26 - o diretor-executivo, Guilherme Syrkis, e a gerente de relações institucionais, Flávia Bellaguarda -, além de ter facilitado e mediado a participação dos governadores Renato Casagrande (ES) e Eduardo Leite (RS).


Durante sua estadia em Glasgow, Guilherme Syrkis foi também convidado, enquanto ex-bolsista da Obama Foundation, a participar de um encontro com o ex-presidente norte-americano Barack Obama e outros ex-alunos da rede. Na reunião foram comentados os desafios da nova gestão do CBC, a visão para o futuro da instituição e a importância do movimento Governadores pelo Clima.


Em paralelo a toda essa movimentada agenda em Glasgow, o atendimento à imprensa foi uma outra forma com que o CBC contribuiu para ampliar o conhecimento sobre os assuntos em debate na COP26. Tivemos dois artigos publicados na grande imprensa sobre os debates em andamento e os possíveis resultados da conferência, além de inúmeras entrevistas e reportagens nos mais variados veículos - CNN, GloboNews, Estadão, Folha de São Paulo, Valor Econômico, entre outros - fornecendo informações aprofundadas para ajudar a sociedade a entender melhor tudo que está em jogo. [Para mais detalhes, veja a seção CBC na mídia]


Finalmente, de olho no futuro e na necessidade das novas gerações, o The Climate Reality Project, representado no Brasil pelo CBC [ver seção Mobilização e Capacitação], levou para a COP26 o Manifesto Jovens Pela Educação Climática. O documento foi entregue em mãos ao governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, e ao prefeito de Niterói, Axel Grael, como forma de pressionar chefes do Executivo nas esferas estadual e municipal a darem mais atenção ao tema. Produzido em parceria com o Greve pelo Clima (FFF Brasil) e escrito por 12 jovens de 16 a 24 anos de oito estados brasileiros, o Manifesto é o pedido da juventude por educação climática nas escolas de ensino básico brasileiras. Em dezembro de 2021, contava com mais de 3.400 assinaturas de professores, alunos, instituições e membros da sociedade.


 

Advocacy


A incidência sobre políticas públicas é uma das estratégias de ação mais características do CBC. Desde outubro de 2020, quando o I Encontro Internacional Governadores pelo Clima foi o vetor para a consolidação da coalizão Governadores pelo Clima, essa linha de atuação vem ganhando ainda mais destaque e desdobramentos práticos nas políticas adotadas pelos estados brasileiros. Estes vêm assumindo o protagonismo na ação climática no Brasil, apoiados pela articulação do CBC, que não só fornece informações qualificadas a tomadores de decisão, mas também indica caminhos para a adoção de políticas públicas concretas. Neste sentido, encontros regionais, realizados desde dezembro de 2020, contaram no total com a presença de 22 governadores, além de inúmeros secretários estaduais e membros dos corpos técnicos dos 24 estados partícipes da iniciativa. Os encontros tinham como objetivo promover o debate e a troca de experiências sobre temas como governança climática, energias renováveis e fontes de financiamento climático.


Além disso, a carta articulada pelo CBC e endereçada ao presidente dos EUA, Joe Biden, por ocasião da Cúpula dos Líderes Climáticos, teve a adesão de 24 governos estaduais e foi entregue em evento virtual com o então embaixador norte-americano no Brasil, Todd Chapman. A ação foi destaque nos principais veículos de comunicação no país e no exterior e teve cobertura no Jornal Nacional, da Globo, diversas inserções na CNN Brasil, reportagens no El País e no Valor Econômico, entre outros.


Esta interlocução com os EUA complementa as constantes articulações com a União Europeia - apoiadora da iniciativa Governadores pelo Clima por meio do programa Strategic Partnerships for the Implementation of the Paris Agreement (SPIPA) - e com o Reino Unido, com o qual realizamos encontros bilaterais com a Embaixada Britânica no Brasil e operamos a aproximação de governos estaduais com a campanha Race to Zero. [Para mais informações, ver “Relações Internacionais”]


Todo esse trabalho já apresenta desdobramentos práticos. A começar pelo Consórcio Brasil Verde: lançado às vésperas da COP26 e com anúncio internacional reforçado durante a conferência [ver Relações Internacionais], o novo consórcio é formado por uma parcela dos estados representados na iniciativa Governadores pelo Clima e surgiu para materializar a captação de recursos para empreendimentos climáticos nos estados brasileiros. Por meio desse novo instrumento, o investimento internacional em projetos climáticos chega de forma direta aos estados, sem intermediários.


Compromissos dos estados pela ação climática


Carta de Compromisso dos Governadores pelo Clima

Firmada por XX governadores estaduais em outubro de 2020, é o documento inicial e oficial de adesão à coalizão Governadores pelo Clima. Lançada durante o I Encontro Internacional Governadores pelo Clima, em 29 de outubro de 2020, reúne a base conceitual da iniciativa.


Carta a Joe Biden

Elaborada por ocasião da Cúpula dos Líderes Climáticos - convocada pelo presidente dos EUA, Joe Biden, para abril de 2021 - o documento articulado pelo CBC teve grande visibilidade na mídia e consolidou a iniciativa, ao demonstrar para o mundo todo a disposição, por parte dos estados brasileiros, de protagonizar as ações climáticas no Brasil. Ao todo, 24 estados assinaram a carta.


Carta de Manaus

Lançada menos de um mês antes da COP26, a carta firmada por 18 governadores e endereçada à presidência da Câmara dos Deputados lançou luz sobre a urgência na aprovação do projeto de lei que regula o mercado de carbono no país, especialmente importante nos preparativos para os debates que se desenhavam para a Conferência de Glasgow.



Confira a playlist com os eventos da coalizão Governadores pelo Clima no canal de Youtube do CBC






Apoio à governança climática local em estados e municípios


O apoio ao incremento da governança climática dos entes subnacionais também está na pauta de ações do CBC como forma de fortalecer as estruturas e o arcabouço de práticas e regras que garantem, em última instância, não só a continuidade de políticas públicas, mas também da participação cidadã nos processos de tomada de decisão acerca do tema.


A formação dos Fóruns Estaduais de Mudanças do Clima vem sendo estimulada ativamente pelo CBC nas interlocuções bilaterais com os estados. Apoiamos a criação, a ativação e o fortalecimento de fóruns em 17 estados entre setembro de 2020 e novembro de 2021.


Estados nos quais o CBC apoiou a criação, ativação e o fortalecimento de Fóruns Estaduais de Mudança do Clima:

Alagoas

Amapá

Amazonas

Bahia

Espírito Santo

Goiás

Mato Grosso

Mato Grosso do Sul

Minas Gerais

Paraná

Pernambuco

Rio de Janeiro

Rio Grande do Norte

Rio Grande do Sul

Rondônia

Santa Catarina

Tocantins


O levantamento e o fornecimento de informações qualificadas também se inserem na estratégia de influenciar a criação de políticas públicas eficazes que facilitem a implementação da NDC brasileira. Análises sobre perfil e cenários de emissões e opções de mitigação são exemplos de concretização dessa linha de ação. No projeto “Implementando esforços em nível estadual para o alcance da NDC Brasileira”, as análises se debruçaram sobre os estados de Amazonas, Minas Gerais e Rio de Janeiro, tendo fornecido insights valiosos para pensar as políticas já em andamento, mas principalmente aquelas sendo programadas.


As conclusões do estudo foram destaque na imprensa ao demonstrar que, mesmo se implementadas as medidas de mitigação já consideradas, Minas Gerais e Rio de Janeiro tendem a ter um aumento nas emissões de gases de efeito estufa nos próximos anos, conforme relataram a revista Época Negócios, a Istoé Dinheiro e a Agência Brasil. Desenvolvido com o apoio da Initiative for Climate Action Transparency (ICAT) e da UNEP DTU Partnership e tendo como parceiro de execução o Centro Clima (COPPE/UFRJ), o projeto produziu ainda estudos, eventos e workshops de engajamentos de diversos atores nos estados analisados.


No âmbito municipal, participamos a convite do prefeito de Niterói, Axel Grael, e do Secretário Municipal do Clima de Niterói, Luciano Paez, da assinatura da Carta de Intenções pelo Clima do município de Niterói. A carta é um compromisso selado entre o Executivo e o Legislativo para criação da Frente Parlamentar do Clima e visa apoiar as ações de mitigação climática no município, disseminando a importância da agenda climática e ambiental para o avanço da segurança do clima da população niteroiense.


Ainda na atuação voltada para municípios, elaboramos um conjunto de boas práticas, procedimentos e recomendações para garantir a continuidade da governança climática nos contextos de transição eleitoral ou em outros tipos de mudanças institucionais. O trabalho foi realizado junto aos coordenadores dos Planos de Ação Climática implementados pelo programa C40 Climate Action Planning Programme (CAP Latam), braço de ação do C40 Cities. No processo de execução, liderado por Olga Martins Wehb, socióloga e co-fundadora do CBC, foram analisados programas climáticos municipais, nacionais e internacionais, além de realizadas entrevistas com representantes de metrópoles latino-americanas: Buenos Aires, Medellín, Quito, Lima, Guadalajara, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Curitiba.


Para complementar, o CBC tem aberto portas importantes no âmbito do Legislativo federal, a fim de influenciar e qualificar a tomada de decisão sobre projetos de lei voltados para frear a crise climática. Atualmente temos status consultivo da Comissão de Meio Ambiente do Senado Federal (Fórum da Geração Ecológica), presidida pelo Senador Jaques Wagner, levando assim para outras instâncias o conjunto de informações qualificadas e análises aprofundadas que empregamos em nossos projetos e ações.


 

Estudos


A urgência da tomada de ação indicada na Agenda 2030 gera uma demanda imediata de análise sobre custos de implementação de projetos climáticos comparados às perdas e danos causados pelas mudanças no clima. Demonstrar que fazer bem ao ambiente também faz bem para as finanças tem sido uma estratégia de ação comum em estudos e projetos liderados pelo CBC no último ano, além de ser uma demanda cada vez mais premente da sociedade.


Neste sentido, diversos estudos sobre o tema vêm sendo realizados pela atual gestão, seja analisando os custos para o sistema de saúde de Porto Alegre em função dos problemas de saúde da população ocasionados pela emissão de CO2 dos ônibus locais, ou analisando modelos de produção sustentáveis e a transição para a economia de baixo carbono no bioma Pantanal, ou mesmo municiando os estados do Nordeste com dados sobre o potencial de empregos a serem gerados pelos empreendimentos de energias renováveis que aproveitem o sol e o vento: este conjunto de ações, realizadas em todo o Brasil, convergem para o CBC demonstrar aos governos, tomadores de decisão, formadores de opinião e à sociedade as vantagens sociais e econômicas de investir em projetos climáticos.


Em paralelo, a fim de garantir que esses projetos sejam implementados, o CBC tem feito ainda a ponte entre entes subnacionais e financiadores internacionais, seja convidando representantes-chave de fundos e bancos de investimento para os encontros regionais com estados promovidos pela coalizão Governadores pelo Clima, seja encabeçando um amplo estudo sobre fontes de financiamento climático desenvolvido para Tribunal de Contas da União e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).O levantamento foi um dos pontos centrais de debate do Encontro Técnico #2 do ciclo de três encontros denominado "Agenda de clima nas cidades e estados - Responsabilidades e possibilidades para o nível local", realizado pela Aliança pela Ação Climática Brasil (ACA Brasil) e a plataforma subnacional para o CLIMA.


O exemplo de Noronha


O projeto Noronha pelo Planeta é mais uma amostra concreta de como é possível impulsionar ações de descarbonização sem deixar de ter ganhos econômicos. O projeto está sendo viabilizado pelo Consórcio Noronha Pelo Planeta, estabelecido via Termo de Cooperação assinado entre o CBC, Instituto InterCidadania, Circularis_Circulabs, Sinspire e a Administração do Arquipélago de Fernando de Noronha.


A iniciativa é materializada no Laboratório de Inovações para Economia Circular do Brasil, também chamado de Lab VADELATA, lançado em outubro de 2021 com investimentos 100% privados. O objetivo é impulsionar novos modelos econômicos inclusivos, sustentáveis e replicáveis em larga escala, com participação ativa da comunidade local e integração de empresas, academia, governos e organizações não-governamentais.


O projeto é apoiado pela Ball Corporation, multinacional que fornece soluções sustentáveis de embalagens de alumínio e serviços aeroespaciais, sendo líder global na produção e reciclagem de latinhas de bebidas. Também são parceiros da iniciativa Ambev - AMA, Novelis, Minalba, Neoenergia, Renault e GOL Linhas Aéreas, que lançou a primeira rota aérea brasileira carbono neutro, no trecho Recife-Noronha-Recife, em setembro de 2021.


 

Mobilização e capacitação


As ações para mobilizar, engajar e capacitar cidadãos, técnicos, instituições e outros atores ganharam novas estratégias e impulso na atual gestão do CBC. Seja pelas novas possibilidades que emergiram após a digitalização de processos acelerada pela pandemia de COVID-19, seja pela compreensão cada vez mais incorporada ao cotidiano do CBC de que, sem letramento climático, capilaridade e disseminação de informações qualitativas, instituições, pessoas e grupos não terão ferramentas adequadas para o enfrentamento à emergência climática.


No âmbito do projeto “Implementando esforços em nível estadual para o alcance da NDC Brasileira”, por exemplo, o foco das ações de capacitação foram os técnicos das secretarias e representantes de outras instituições dos estados abrangidos na iniciativa, com o objetivo de criar as bases para as discussões sobre as ações de mitigação e indicadores de MRV no âmbito estadual. Foram realizados workshops com cada estado - Amazonas, Minas Gerais e Rio de Janeiro - que visavam garantir a participação de diferentes públicos interessados, além de apresentar e discutir os resultados do projeto e obter feedbacks dos stakeholders.


Já nosso apoio à organização do workshop “Mudanças climáticas e retomada verde: o olhar de experts e jornalistas” teve como objetivo qualificar a cobertura da imprensa brasileira acerca do assunto, especialmente no então contexto de preparação para a COP26. Realizado pelo programa Strategic Partnerships for the Implementation of the Paris Agreement (SPIPA) em junho de 2021, teve suporte do CBC tanto na curadoria e convite de palestrantes e experts para compor painéis, quanto na mobilização de jornalistas participantes.


O diretor-executivo do CBC, Guilherme Syrkis, foi um dos palestrantes do painel “A importância de uma comunicação relevante sobre o clima”, onde foi lançado o Glossário do Clima, elaborado pelo CBC em parceria com o Monitor do Novo Debate Econômico (MNDE). O objetivo principal era fornecer ferramentas, informações e fontes de informação aos jornalistas interessados em pautas relacionadas às mudanças climáticas, ao Acordo de Paris e retomada econômica verde pós-COVID-19, além de colocar em pauta a contribuição da comunicação e, em especial, da imprensa para fazer avançar a pauta climática no país.


Os treinamentos do The Climate Reality Project


Nosso principal braço de treinamentos é o programa The Climate Reality Project, representado no Brasil pelo CBC desde 2016. Nele, o público-alvo inclui toda a sociedade, e as formações anuais - iniciadas em 2006 por Al Gore e que, ao longo de 2020, passaram ao formato virtual - alcançaram um número de 1.732 de brasileiros formados, os chamados Líderes de Realidade Climática.


Também em 2020, uma nova oportunidade de aprendizado foi colocada em prática: as Jornadas Virtuais de Aprendizagem em Clima - ou simplesmente Jornadas pelo Clima - foram iniciadas como um método de aprendizado lúdico que leva educação climática baseada em ciência para qualquer pessoa que deseje ampliar seu conhecimento no tema. A metodologia foi desenvolvida pela educadora e gerente do The Climate Reality Project Brasil, Renata Moraes, que atua como principal facilitadora do treinamento.

Já foram concluídas 16 turmas, nas quais se formaram 357 pessoas que, por sua vez, elaboraram 256 microprojetos -- estes são o “trabalho final” da jornada. Nas avaliações feitas ao final de cada turma, os participantes deram nota média de 9,5. Esse reconhecimento sobre a versatilidade e o potencial de replicação da nova metodologia já ultrapassa o grupo de pessoas que participaram: as Jornadas pelo Clima foram certificadas como tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil e selecionadas como finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2021.

Mobilização, engajamento e ações práticas


Além de capacitar, o The Climate Reality Project também estimula a ação prática da sua rede de Líderes de Realidade Climática, especialmente a partir dos cinco grupos de trabalho existentes: Engajamento, Ambição Climática, Educação Climática, Comunicação e Justiça Climática. Ao todo, seis campanhas de engajamento foram realizadas para que os membros da rede se envolvessem em ações práticas. Um exemplo foi a campanha “Árvore Refugiada”, idealizada pela agência África para lançar luz sobre o desmatamento na Amazônia.


Estas campanhas, associadas aos treinamentos realizados, contribuíram para que os membros da rede participassem de ao menos 1.800 atos de liderança - ou seja, quaisquer tomadas de atitude rumo ao enfrentamento à emergência climática. Essas mesmas ações práticas puderam participar do Edital de Microprojetos, lançado em setembro de 2021 a fim de premiar quatro iniciativas de pequena escala para que pudessem sair do papel.


Outra forma de reconhecimento do empreendedorismo dos Líderes da Realidade Climática foi o Prêmio Descarbonário, cujo nome foi inspirado na última obra escrita por Alfredo Sirkis e lançada em julho de 2021. A premiação teve mais de 120 inscritos para três categorias: projetos realizados, projetos em andamento e projetos futuros.


 

Produção de conhecimento


Como think-and-do-tank que é, o CBC produziu inúmeros estudos, relatórios técnicos e artigos ao longo dos últimos 14 meses. Seja com produções próprias, ou tendo seus consultores participando de publicações ou relatórios coletivos, esse braço de atuação do CBC cumpre a função de qualificar e disseminar o conhecimento aprofundado, parte da essência do CBC.


Quando se fala em relatório técnico, vale destacar o estudo sobre Políticas Públicas e Financiamento Climático no Brasil, que traz uma radiografia das fontes de financiamento e de sua relação com o alcance da NDC brasileira. Ao apresentar todo o cardápio de possibilidades existentes, o levantamento funciona como uma ferramenta facilitadora para os governos subnacionais interessados em empreender novas ações em seus estados e regiões. [Para mais informações, ver seção Economia Ambiental e Política Climática]


Já o relatório sobre os cenários de emissões de gases de efeito estufa em três estados brasileiros - AM, RJ e MG - permite que os entes da federação analisados calibrem melhor as políticas públicas já existentes de mitigação ou formulem novas, mais ambiciosas, para conseguir garantir a emissão líquida zero tão necessária e recomendada por especialistas. Publicado com o nome “Relatório final - Implementando esforços em nível estadual para o alcance da NDC brasileira”, o documento pode servir também para gestores de outros estados terem como referência ou se inspirarem para aumentarem ou intensificarem suas medidas de mitigação e apontar o planejamento de ações estratégicas de adaptação em curto, médio ou longo prazo.


O CBC teve ainda participações relevantes em produções coletivas, em parceria com a Academia ou com outras ONGs nacionais e internacionais. Um dos destaques foi o lançamento do Climate Transparency Report 2021, em outubro de 2021, às vésperas da Cúpula do G20. O estudo, editado anualmente, analisa todas as economias dos 20 países mais ricos do mundo, para verificar como elas estão se saindo frente aos esforços necessários para limitar o aumento da temperatura do planeta a 1,5ºC e para alcançar a emissão líquida zero até 2050. Coordenado no Brasil pelo pesquisador William Wills, diretor técnico do CBC e professor do Centro Clima (COPPE/UFRJ), o relatório conclui que o país não está na direção correta. O CBC apoiou ainda o lançamento do relatório no Brasil, que teve a mediação de nosso diretor-executivo. As conclusões do relatório sobre a situação brasileira, onde o desmatamento é o grande vilão, captaram a atenção da imprensa, com matérias na CNN (tanto na TV, quanto na rádio), no Estadão, na IstoÉ e no Jornal da Globo, entre outros.


Ainda dentro da produção mais técnica do CBC em colaboração com outros parceiros, Alex Batista e Guilherme Lima, economistas e consultores do CBC, são co-autores de um dos capítulos da nota técnica número 02 do Instituto Talanoa, cujo tema é “A Política Nacional de Mudança do Clima em 2020: estado das metas, mercados e governança assumidos na Lei 12.187/2009”. Junto com Natalie Unterstell, Olivia Ainbinder e Rubens Born, eles assinam o capítulo sobre “Governança”. Alex Batista é também autor de um artigo apresentado no XIV Encontro da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (Eco-Eco) sobre a metodologia e os aprendizados a partir do projeto realizado pelo CBC na capital gaúcha. Nele, são analisados os custos para o sistema de saúde de Porto Alegre em função dos problemas de saúde da população ocasionados pela emissão de CO2 dos ônibus locais.


Já com o objetivo de informar à sociedade em geral, o Glossário do Clima é um dos destaques da produção do CBC nos últimos 14 meses. Realizado em parceria com o Monitor do Novo Debate Econômico (MNDE), foi lançado em junho de 2021, durante o Workshop “Mudanças climáticas e retomada verde: o olhar de experts e jornalistas”, apoiado pelo CBC [para mais informações, ver seção Mobilização e Capacitação]. Produzido em conjunto pela nossa equipe de consultores, o glossário se propõe a ser uma ferramenta de esclarecimento para diversos públicos que desejam entender melhor o que está em jogo quando se fala em expressões como UNFCCC, Acordo de Paris, Inventário de Emissões, Títulos Verdes, entre outros. A então novidade foi notada pelo portal Um Só Planeta, da Editora Globo, que desde setembro de 2021 vem oficialmente usando os verbetes do glossário nas suas postagens em redes sociais.


Já quando o assunto é a COP26, preparamos o briefing “Informações estratégicas para a COP26”, que compila uma série de dados detalhados para ajudar a entender as bases técnicas e políticas dos principais pontos em debate na conferência de Glasgow, suas origens e os posicionamentos recomendados para o Brasil. O documento conta ainda com histórico e explicações necessárias para compreender o ecossistema de uma Conferência das Partes (COP). Inicialmente destinado aos representantes estaduais que compareceram à COP26, o documento foi disponibilizado também para o grande público. [Para mais informações, ver seção Relações Internacionais]


Ainda no âmbito da COP26, o CBC produziu dois artigos publicados no Estadão - um deles analisando em detalhes, em pouco mais de 24 horas, a então recém-anunciada meta do Brasil -, a fim de dar subsídios para uma parcela maior da população entender os polêmicos debates em pauta em Glasgow e suas repercussões. Falando em imprensa, a equipe de consultores do CBC publicou mais de 20 artigos na imprensa nacional no período de setembro de 2020 a novembro de 2021. O economista, ambientalista e consultor-sênior do CBC, Sérgio Besserman, é o autor de uma parcela significativa desses artigos, publicados mensalmente na coluna que assina no Um Só Planeta.


Complementando a produção de conhecimento voltada para o grande público, a equipe do The Climate Reality Project produziu e lançou o programa web mensal Clima na Real, que trata de temas relacionados a datas relevantes conectadas à pauta climática, em parceria com os Líderes da Realidade Climática e especialistas nos assuntos abordados. O programa teve ainda a série especial “Clima na Real Rumo a Glasgow”, um guia prático virtual com tudo que a audiência precisava saber para chegar bem informada à COP26.







29 visualizações0 comentário